Notícias
20
Abr

SECRETARIA DE SAÚDE PROMOVE CAPACITAÇÃO SOBRE TUBERCULOSE

Avalie este item
(0 votos)

          A Secretaria Municipal de Saúde, através da Vigilância em Saúde, realizou na terça-feira, dia 17 de Abril, no anfiteatro da Câmara Municipal, capacitação sobre tuberculose para os profissionais da saúde: médicos e enfermeiros.

         Os sintomas, o contagio e a forma de tratamento foram os temas principais desta capacitação. A tuberculose é uma das doenças mais antigas que ainda atinge a humanidade.  É uma enfermidade infectocontagiosa e endêmica, provocada pelo bacilo de Koch. Ela é transmitida pela tosse e que afeta principalmente os pulmões, mas também pode ocorrer em outros tecidos do corpo.

         O Médico Walter Múcio Costa, palestrante desta capacitação, foi categórico em afirmar para os médicos e enfermeiros da atenção primária que a busca ativa de sintomáticos respiratórios em pacientes que apresentam tosse por três semanas ou mais, deve ser uma atividade contínua nos serviços de saúde, pois contribui para o diagnóstico e tratamento precoces quebrando a cadeia de transmissão. Também reforçou que pelo menos 1% da população ao ano, segundo estatísticas, são sintomáticos respiratórios e que no Município de Ibiá seriam em torno de 250 pessoas e deste número, 10 teriam os testes positivados.

        De acordo com a Enfermeira e Referencia Técnica de Tuberculose Taisa Quintino de Oliveira, Ibiá apresenta hoje dois casos da doença. Ela explicou que o tratamento é de seis meses e a doença é 100% curada quando o paciente segue corretamente as orientações médicas. Enfermeira Taisa fechou o evento falando sobre a intensificação do Município de Ibiá na busca ativa da doença, principalmente no período de frio onde aumenta os casos de sintomáticos respiratórios.

 

Transmissão da tuberculose

         A transmissão da tuberculose é direta, de pessoa a pessoa, portanto, a aglomeração é o principal fator de transmissão. O paciente com tuberculose expele, ao falar, espirrar ou tossir, pequenas gotas de saliva que contêm o agente infeccioso e podem ser aspiradas por outro indivíduo contaminando-o. A má alimentação, a falta de higiene, tabagismo, alcoolismo ou qualquer outro fator que gere baixa resistência orgânica, também favorece o estabelecimento da tuberculose.

 

Sintomas de Tuberculose

        Alguns pacientes não exibem nenhum indício da tuberculose, outros apresentam sintomas, aparentemente simples que são ignorados durante alguns anos ou meses. Contudo, na maioria dos infectados com tuberculose, os sinais e sintomas mais frequentemente descritos são: tosse seca contínua no início, depois com presença de secreção por mais de quatro semanas, transformando se, na maioria das vezes, em uma tosse com pus ou sangue, cansaço excessivo, febre baixa geralmente à tarde, sudorese noturna, falta de apetite, palidez, emagrecimento acentuado, rouquidão, fraqueza e prostração. 

       Os casos graves de tuberculose apresentam: dificuldade na respiração, eliminação de grande quantidade de sangue, colapso do pulmão, acúmulo de pus na pleura, membrana que reveste o pulmão,  se houver comprometimento dessa membrana, pode ocorrer dor torácica.

 

Tratamento de Tuberculose

      O tratamento da tuberculose à base de antibióticos é 100% eficaz. No entanto, não pode haver abandono. A cura da tuberculose leva seis meses, mas muitas vezes o paciente não recebe o devido esclarecimento e acaba desistindo antes do tempo. Para evitar o abandono do tratamento da tuberculose, é importante que o paciente seja acompanhado por equipes com médicos, enfermeiros, assistentes sociais e visitadores devidamente preparados.

 

Prevenção

      Para prevenir a tuberculose é necessário imunizar as crianças com a vacina BCG. Crianças soropositivas ou recém-nascidas que apresentam sinais ou sintomas de Aids não devem receber a vacina. A prevenção da tuberculose inclui evitar aglomerações, especialmente em ambientes fechados, e não utilizar objetos de pessoas contaminadas sem tratamento.

Mais lidas